Tuesday, August 17, 2010

Eu sou “bege”

Até entendo bem a raiva que dá, das pessoas que acordam sempre de bom humor. Imagina que pro resto da tua vida tu vai acordar com alguém querendo te beijar. Vai dormir com alguém que vai te fazer cafuné... vai buscar mais cobertas, com prazer. Alguém que vai sempre se esforçar para fazer o melhor. Alguém sempre querendo te levar café da manhã na cama. E com flores. E...
Certamente é uma pessoa bege. A começar pelo fato de que a pessoa tem que se esforçar. Esforçar-se deve ser o primeiro erro.
Bege.
A pessoa que falha naquilo que é o mais importante na vida. Despertar o amor.
Acordar de bom humor. Acordar cantando. Passar um dia inteiro de bom humor. E falhar. Falhar na vida.
Bege.
Querer ser motivo da felicidade de alguém, e, simplesmente, não ser.
Motivo. Aquilo que tu és para mim. Aquilo que és no meu dia inteiro. Aquilo que qualquer tentativa de explicar, nunca demonstrará o que és pra mim.
Bege, por estragar o café da manhã na cama. Por querer que fossem nossos, os momentos que eram só meus. Por acreditar que conseguiria despertar o que é mais belo.
E só depois de tudo passar, que posso ver que era muito bege, porque não há nada que façamos que vai despertar o amor em alguém. É simplesmente o que somos. Ou como somos vistos... ou simplesmente há.
Bege por acreditar no amor. Terrivelmente bege, por acreditar que o tempo poderia trazer algo maior.
Finalmente, bege, por saber que tu teve sucesso na missão que nem ao menos estava interessada, e sem o mínimo esforço despertou isso em mim, enquanto me esforcei tanto, e nem cheguei perto de conseguir.
Bege... Eu tinha uma calça bege. De veludo. Adorava ela. A usei tanto que se rasgou. E ela era bege. Acho que bege é algo desbotado. Não é marrom, nem amarelo. Nem perto de ser um azul.
Nunca pensei ser “bege”.
Nunca me senti tão assim.

3 comments:

Angélica Lins said...

Tens razão, "não há nada que façamos que possa despertar o amor em alguém"... Principalmente se o outro não estiver pronto para vivenciá-lo. A inabilidade do outro é do outro, não sua.


Vou te fazer numa tela
Onde não haverá tons de sépia
E muito menos de bege
Porque você não combina
Com nada sem energia
Usarei então as cores
Que contenham alegria
E traduzam intensidade
Porque é assim que te percebo:
Como um caleidoscópio de possibilidades.
E se quando você olhar
Sentir que faltou tinta no traço
Juro que compenso com abraço!
Pra finalizar a tela
Usarei tinta que cheira e não coça o nariz
Seria ótimo um sorriso agora...
O que me diz?

Um beijo.

alfacinha said...

bege é uma cor peculiar e flexível

Ricardo Leitão said...

Hehe..
O comentário da angélica foi demais.. e já o comentei o blog dela.
Quanto ao comentário da alfacinha, tão simples, e faz pensar no lado bom de tudo. Até me senti mal, e agora peço desculpa ao bege. O bege é lindo. até comprei um papel bege hoje.... para fazer um porta retratos.