Monday, July 12, 2010

Eu estava com ela, mas ela não estava comigo

É um sentimento estranho, porque para a gente chegar a um estado de “estar com uma pessoa”, é provável que ela também esteja conosco. Não digo totalmente, mas obrigatoriamente bem mais que “simplesmente um pouco”.
Fazer parte do dia. Isso que era pra mim. O tempo todo. Em tudo ela estava. Tudo era pra ela.
Assim acreditei que fosse, e na primeira vez que me avisou que não era, mudei. Mudei e fiquei mal. Fiquei mal por que não era mais eu. Então aqui está, se por este tempo todo eu não deixei claro, agora deixo: Eu vivo para isso, e te queria para a minha vida.
O difícil é isso. “Isso”. Vivi algum tempo por algo que eu nem sabia o que era, e agora pago por tê-lo feito assim. Pior, vivi algum tempo, por algo que acreditei que fosse, mas não era. Erro meu, eu sei. Mas vou errar tantas vezes quantas forem necessárias, pois como disse, assim eu sou. Acreditei, e acredito sempre. Por isso, culpa minha.
Então me deixou claro pela segunda vez. E ainda assim, eu continuei. Insisti no erro. Mas assim eu sou, e se era pra ser diferente, não era pra ser eu. Se era para ser meio, e não inteiro, não era pra ser eu. E dessa vez nem consigo ter claro o que foi que deu de errado. Mas ainda não era eu, e não daria certo de novo. Como não deu.
Então uma terceira vez foi necessária. Não sei porque (irônico né..), mas associo isso a uma música da Janis, e eu queria perguntar pra ela, se no final da música, com os pedaços que sobraram do coração, se ela ainda conseguia sentir alguma coisa. Porque eu até entendo que a gente sinta uma coisa tão forte, que mesmo quando outra pessoa proponha colocar tudo fora, a gente não aceite, e ainda passe a ter certeza daquilo que estamos perdendo, mas isso vale pra sempre? O importante, é que o refrão é cantado várias vezes, e para a Janis, tanto quanto pra mim, a pessoa vai e volta, e vai e volta, e cada vez quebra mais um pedacinho daquilo que construímos com tanto carinho, e parece que o sentimento só cresce.
Depois de perder a conta de quantas vezes me avisou, me sinto como a Janis, ainda querendo que tenhas mais um pouquinho de mim. Mas será que isso tem algum fim? Ou a angústia deve durar?
Então porque não tira logo um naco desse coração, e acaba com isso de uma vez por todas? Ou te apropria do que, de fato, é teu...
Acho que cada vez as coisas ficam mais claras, e porque não dizer, próximas do final. Pois cada vez que é retirado um desses pedacinhos, fica mais claro pra mim, que eu estava com ela, mas ela nunca esteve comigo.
O que mais dói é querer aceitar. Querer abandonar algo tão belo, porque te faz mal.

2 comments:

Anonymous said...

Come on! Break another little piece of my heart!!!!!!!!
Não desiste!!!! Se é tão bonito..
Beijos
Gi!

Mariana Barreto said...

Era tudo que eu sentia e tinha pra dizer nos últimos dois anos. Tu não entendia quando eu dizia que o que sentia era tão bonito que não valia a pena abandonar, deixar passar e que sim eu iria insistir no erro.
Hoje eu te entendo qnd brigava cmg, tu queria me proteger, como hoje eu não queria te deixar voltar nenhuma vez, pra que tu não sofresse nada disso!
Mas cada vez que eu penso em te segurar, eu lembro, e sei que tu vai sofrer mais se eu te trancar em casa e não te deixar voltar.
Vive, volta se for necessário uma quarta, quinta vez.... A gente só consegue continuar vivendo quando esgotamos sentimentos. E a cada volta tu te torna mais forte, quem sabe tu perceba que não é para ela que tu deve estar? Ou quem sabe ela perceba, graças a tua insistência, é pra ti que ela deve estar!
te amo beijos